04 maio 2006

CANNABIS


Uma mulher de 70 anos foi detida em cabeceiras de basto por ter uma plantação de 67 pés de cannabis no interior da sua quinta, prefazendo um total de 10 quilos. Mas qual o problema de fazer plantação de cannabis? até a coitada da senhora usa a cannabis para fins medicinais...ou é para oferecer generosamente a mercadoria ao netinho...:) . Não se entende... o consumo e distribuição de droga é algo que não prejudica ninguém. Até mesmo em algumas culturas ditas menos desenvolvidas é utilizado varios tipos de drogas em festividades sociais... desde q seja consumido com moderação é tão mau como fumar um cigarro ou comer uma francesinha com molho um bocado mais picante. Penso que esta proibição generalizada e tão radical das drogas é tão justo como o crime de blasfémia ou condenação por infidelidade. É apenas uma mania social que a maioria de nós aceita, mas se virmos as coisas de uma perspectiva imparcial não faz sentido nenhum. Nao estou a dizer que o consumo de drogas seja desejavel, da mesma forma que o consumo do tabaco e a má alimentação tambem não são comportamentos desejaveis e não será por isso que vamos multar quem não come a sopa.


3 comentários:

edumad disse...

Comparar francesinhas com cannabis...
Tens de me dizer onde as comes.

Brincadeiras à parte acho que a as drogas leves devem sem duvida ser legalizadas, não são mais nocivas do que o alcool ou o tabaco, mas tem a desvantagem d eestarem na economia paralela e por isso não pagarem imposto ao estado.

Engenheiro Bertinho disse...

estão na economia paralela precisamente pelo facto de serem ilegais

ouipas disse...

Multar quem não come a sopa ... está bem que não se faça, mas é certo e sabido que assim sendo não tem direito a sobremesa.

A proibição de "não comer a sopa" não se baseia, julgo, apenas no facto de fazer mal ao organismo, mas dever-se-à mais ao propiciar comportamentos desviantes que, uns por tradição da nossa sociedade (ninguém se deve alienar nem rir de mais) e outros por serem crimes como o tráfico e a prostituição, se pretendem afastar.
Claro que nem todas as formas de "não comer a sopa" serão igualmente nefastas, mas há algumas que deverão, de alguma forma ser combatidas. Mas isso é outra história.