14 fevereiro 2006

AS FAMOSAS CARICATURAS


Tanto se tem falado das caricaturas de Maomé e eu ainda não as vi. Se alguém conhece algum site onde estas estejam publicadas que deixe nos comentários.

Não compreendo, porque não se pode compreender, que a publicação de umas caricaturas possa causar tanta polémica, quer dizer, terrorismo. Sempre pensei, e a cada dia que passa mais acredito, que a liberdade é um direito e um bem fundamental e só quando toda a gente perceber isto é que poderemos viver num mundo minimamente decente.
Alguns dizem que "a liberdade de uns termina onde começa a liberdade dos outros": mas o que quer isto dizer? quem publicou as caricaturas prejudicou alguém? não! Alguém tem a 'liberdade' de limitar a liberdade dos outros por questoes de 'sensibilidade' excessiva? É preciso ter cuidado com a definição de prejuizo. Eu não sou obrigado, nem seria possivel, a saber até que ponto posso ferir a sensibilidade dos outros. Só á posteriori é que os ofendidos se devem queixar; querer limitar a liberdade de expressão á partida é um erro grave. Claro que nos paises islâmicos a malta nem sabe o que é liberdade e ai está parte do problema.
Fazer um caricatura de Maomé é tão 'grave' como fazer uma caricatura do presidente da republica. As pessoas mais patrioticas podem ficar chocadas mas isso não quer dizer que seja um crime fazer a caricatura.

Maomé tem um significado especial para quem lhe der um significado especial... infelizmente, no que toca a assuntos religiosos, muita gente pensa que os simbolos sagrados devem ser respeitados como se tivessem algum valor intrinseco. Os simbolos religiosos, como outra coisa qualquer, de uma perspectiva objectiva não têm nenhum valor...só têm valor para quem lhe der valor.

2 comentários:

sisi disse...

em puto, quando tinha uma FÉ viva e verdadeira, dem um estalo a um chavalo. ele disse que jesus era paneleiro, porquwe so andava com homens ou cena do genero. subiu-me uma raiva e záz, quase inconscientemente espetei-lhe o tento, arrependendo-me quase de seguida.

Compreendo perfeitamente o quão delicada é a situação, não podemos simplesmente chamar terroristas, a uma cultura que nem sequer conhece-mos.
Se um dia fores ã latitudes bem altas e não deixars o esquimó comer-te a namorada/esposa/mãe (bla, bla) o terrorista és tu... porque afinal é de diferentes cultuiras que falamos.

Engenheiro Bertinho disse...

eu chamo terroristas devido ás mortes e ao vandalismo generalizado a que se tem assistido... o vandalismo e o homicidio faz parte da 'cultura'? nao me parece